REPULSA - Crítica e Opinião Política
REPULSA - Crítica e Opnião Política
 
 
 
   
    Lascou para o PT, Marcos Valério assina acordo de delação premiada com a PF  
   
   
    Por Repulsa, J.Rodrigues | 2017-07-20  
   
     
       
    “Demorou, mas tudo indica que o ‘grande momento’ de dar o troco chegou”.  
   
    Tudo indica que Marcos Valério vem com tudo para cima dos petistas.

Homologação incerta

A homologação do acordo de delação premiada de Marcos Valério realizado pela PF passará pela análise do Supremo Tribunal Federal (STF), em função de oferecer denúncia contra investigados com foro privilegiado.

Para Janot, “a legitimidade para oferecer e negociar acordos de colaboração premiada é privativa do Ministério Público” e a ele cabe “avaliar a utilidade das informações obtidas do colaborador”.

A declaração do procurador-geral da República dá sinais de que a homologação do acordo pode não acontecer.

A desfaçatez de Janot

Mais uma vez o destino da Lava Jato pode acabar nas mãos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A incógnita é, será que Janot terá mais uma vez a “desfaçatez” de utilizar seu cargo como procurador-geral da República para atuar em benefício dos interesses do Lula e do PT a ponto de impedir a homologação do acordo de delação premiada de Marcos Valério?

Não se pode ignorar que a delação de Marcos Valério é muito temida por Lula e petistas.

A delação

Segundo a Polícia Federal (PF), o procedimento foi encaminhado para avaliação do Supremo Tribunal Federal (STF), que não confirmou a existência do processo.

Conforme a PF, Marcos Valério Fernandes assinou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal no processo conhecido como “mensalão tucano”.

A colaboração foi assinada no dia 6 de julho de 2017 e confirmada pela Polícia Federal nesta quarta-feira (19).

Como parte da conclusão da colaboração, o juiz da Vara de Execuções Penais de Contagem autorizou a transferência de Marcos Valério, que estava preso na Penitenciária Nelson Hungria, para a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), em Sete Lagoas, na Região Central de Minas Gerais.

De acordo com o despacho do juiz Wagner de Oliveira Cavalieri, "tal sentenciado é presumidamente possuidor de inúmeras informações de interesse da Justiça e da sociedade brasileira, motivo pelo qual é inegável o interesse público em suas declarações sobre fatos ilícitos diversos que envolvem a república".

 
   
 
   
    Suposta gravação de Lula com Rui Falcão após a delação do Palocci  
   
 
   
    Reforma Política, o novo golpe da esquerda brasileira  
   
 
   
    Caravana de Lula pelo nordeste já é um fracasso  
   
 
   
    STF retira do juiz Moro depoimentos de delatores da JBS contra Lula e Mantega  
   
 
 
 
REPULSA - Crítica e Opinião Política

Todos os direitos reservados © Copyright 2017, a Repulsa Press, Jon Rodrigues. Desenvolvimento e hospedagem web, Jon Rodrigues.