REPULSA - Crítica e Opinião Política
REPULSA - Crítica e Opnião Política
 
 
 
   
    Complicou Janot - Conta de Lula e Dilma delatadas por Joesley podem ser distração  
   
   
    Por Repulsa, J.Rodrigues | 2017-07-10  
   
     
       
    As contas de Lula e Dilma que teriam sido alimentadas por Joesley Batista podem ter sido – apenas - uma distração para justificar o acordo de delação premiada firmado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.  
   
    Leia a nota de Lauro Jardim, que deixa claro que a tal conta suíça de Lula e Dilma não existiu:

“Sem extrato
Sabe a tal “conta-corrente” de US$ 150 milhões na Suíça que Joesley Batista disse que disponibilizou para Lula e Dilma Rousseff em 2014? Não se espere extrato dessas contas. Joesley tem dito que dava o dinheiro em reais quando Guido Mantega pedia, e “descontava” da tal conta suíça. O que teria sobrado serviu para ele comprar alguns bens e o resto foi repatriado em 2016.”


Pego na mentira

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot ao justificar o “absurdo” acordo de delação premiada que contempla imunidade total aos donos da JBS, citou que o fez, pelo fato das denúncias atingirem os três últimos presidentes da república.

A justificativa de Janot foi repetida publicamente diversas vezes.

Se realmente for confirmada a inexistência da conta na Suíça, ficará não só evidente a má intenção de Joesley Batista como a de Janot e Fachin de criar uma situação perfeita para incriminar o presidente da República, Michel Temer sem que houvesse punição ao delator criminoso confesso.

“A teoria de que Joesley Batista denunciou Michel Temer a pedido de Lula se torna cada vez mais possível e real. O fato é que Joesley Batista durante vários anos foi beneficiado por diversos empréstimos concedidos de forma suspeita pelo BNDES. Foi assim, que Joesley criou sua dívida ‘impagável’ com Lula e Dilma e chegou o grande momento de começar a pagar. Envolver o nome de Lula e Dilma na denúncia seria apenas um disfarce que justificaria um acordo concedendo imunidade total ao Joesley. Se Joesley tivesse mesmo interesse de denunciar os três últimos presidentes teria gravado Lula e Dilma com muita facilidade. Não o fez, porque não tinha intenção nenhuma de atingi-los.”

Confirmada a falsa denúncia, caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) cancelar e invalidar acordo de delação premiada e assim punir severamente o delator criminoso confesso, já que em decisão do plenário ficou definido que caso o delator não cumpra com sua parte no acordo este deverá ser cancelado.

“Não se pode negar que a única coisa evidente na gravação de Joesley Batista é a confissão dos seus crimes”.

Além disso, se confirmada toda esta armação, é preciso que Janot e Fachin respondam judicialmente pelas suas condutas criminosas. É inadmissível que representantes da alta corte cometam tais atitudes contra o presidente da República.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot encerra seu mandato em setembro, mas precisa ser punido e exonerado do cargo.

O ministro relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin já deveria ter sido afastado da função por ter forte relação com os políticos do Partido dos Trabalhadores (PT) investigados e réus na operação.

“Uma certeza todos temos, desde o dia em que Lula falou publicamente ‘se não me prenderem quem sabe não mando prendê-los antes’, Janot e Fachin passaram a focar única e exclusivamente em todos os políticos considerados “inimigos” do Lula e do PT, além de atuar em benefício dos interesses da esquerda”.

 
   
 
   
    Suposta gravação de Lula com Rui Falcão após a delação do Palocci  
   
 
   
    Reforma Política, o novo golpe da esquerda brasileira  
   
 
   
    Caravana de Lula pelo nordeste já é um fracasso  
   
 
   
    STF retira do juiz Moro depoimentos de delatores da JBS contra Lula e Mantega  
   
 
 
 
REPULSA - Crítica e Opinião Política

Todos os direitos reservados © Copyright 2017, a Repulsa Press, Jon Rodrigues. Desenvolvimento e hospedagem web, Jon Rodrigues.